Faculdade de Medicina tem segundo professor titular em menos de um ano

Uma vida dedicada às áreas do ensino e da saúde; da Universidade Federal do Amazonas ao Hospital Universitário Getúlio Vargas. Dois enunciados resumidos, mas que tem a pretensão de se aproximar do que representa a história profissional do então professor Gerson Suguiyama Nakajima, docente de nível IV do Departamento de Clínica Cirúrgica, da FM. Em duas volumosas publicações de mais de 500 páginas cada uma, o professor tornou público seu 'Memorial', que findou com sua aprovação e consequente ascensão ao cargo de professor titular do curso de Medicina. 
 
Com o aceite da banca ao pleito do professor, ele passa a ser o segundo docente em exercício a ocupar o cargo mais elevado da hierarquia acadêmica dentro da estrutura da Faculdade de Medicina. Antes dele, em outubro passado, ascendeu o atual vice-reitor da Ufam, professor Jacob Moysés Cohen. O vice-reitor foi quem presidiu o processo de avaliação junto aos professores convidados, Maria de Jesus Coutinho Varejão e Hiroshi Noda, ambos do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia e o professor Gaspar de Jesus Lopes Filho, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Por meio do recurso de teleconferência, o professor Gaspar assistiu à defesa do 'Memorial' e procedeu às suas considerações diretamente de São Paulo.  
 
"O indivíduo chega a esse estágio de participar de um processo de avaliação para professor titular quando conquista o respeito acadêmico da comunidade. Com o respeito, é dado a ele a outorga do poder acadêmico, porque ele passa a decidir efetivamente pelo destino, quase que cartorial, da entidade que ocupa", afirmou o professor Gaspar. 
 
Também profissional da área da saúde, atuando como professor e médico do Hospital Universitário de São Paulo, o docente da Unifesp considerou sua avaliação sob três aspectos: o da qualificação, o da docência e o da liderança acadêmica. 
 
"O currículo é um retrato frio que reflete a vida das pessoas, mas o 'Memorial', não. Ele é um filme que discorre a história e mostra os coautores da trajetória que não se restringe à caminhada profissional, mas a sua família e às suas vivências, ao qual o senhor (professor Nakajima) já homenageou e mencionou", disse. 
 
Para finalizar, o professor da Unifesp citou a ampla lista de cursos de qualificação e especialização, em diversas áreas da Medicina, pelos quais o professor Nakajima passou. 
 
"Do cirurgia do aparelho digestivo, à Medicina do Trabalho e da Cirurgia Oncológica, por todas essas qualificações é possível perceber o quanto o professor buscou estar atualizado em sua área, não se permitindo focar apenas em um campo de trabalho. Ele se aperfeiçoou para transmitir seu conhecimento aos seus alunos e demonstra com muita paixão, estar envolvido com os papéis aos quais desenvolve", salientou. Frente a isso, é indissociável dizer que o professor também tem consigo o poderio da liderança acadêmica, quando submeteu, em dado momento, seu nome a um pleito reitoral e conseguiu lograr êxito, como vice-reitor, nos anos de 2005 a 2009. 
 
O segundo membro titular da banca a discorrer avaliação foi a professora Maria de Jesus Coutinho, que não economizou elogios à conduta profissional do professor Nakajima. "Não sou médica, mas sou pesquisadora e conheço parte considerável da trajetória deste profissional, portanto, reconheço a capacidade profissional e acredito no compromisso do professor para assumir essa função", decretou. 
 
O terceiro avaliador, professor Hiroshi Noda, ressaltou a competência acadêmica do professor avaliado. "Poucos são aqueles que conseguem alcançar este posto com a sua excelência. Em função de sua história, não apenas a contada em seu 'Memorial', mas a que conhecemos, acredito que a Faculdade de Medicina entrará numa nova fase com a sua promoção", observou.   
 
O último a falar ao público foi o presidente da banca, o vice-reitor da Ufam, professor Jacob Moysés Cohen. Ele iniciou seu pronunciamento partindo das coincidências entre ambos. 
 
"Como o senhor, também sou filho do interior, imigrante e em comum, não baixamos a cabeça paro os percalços que surgiram em nossas vidas. Saímos do seio da nossa família e da nossa cidade para virmos para Manaus, a fim de estudar e, de Manaus, saímos para continuarmos estudando", relembrou e concluiu. "Sou oriundo da 4ª turma de Medicina e hoje podemos dizer que os alunos estão em condições muito mais favoráveis do que encontramos quando iniciamos nossa carreira. E, vendo o seu memorial, concluo que o senhor representa um professor completo, está de parabéns! Apenas desejo que muitos sigam o seu exemplo", finalizou. 
 
Prestígio - O reitor da Universidade Federal do Amazonas, professor Sylvio Puga, participou da apresentação do memorial do professor Nakajima. Acompanhado do professor Ivan Tramujas, também da Faculdade de Medicina. "A defesa de tese de um professor titular para a Universidade é um momento de festa, pois representa um ápice de uma carreira docente construída sobre os pilares da Pesquisa, Ensino e Extensão. O professor Gerson Nakajima comprovou, de forma cabal, sua excelência pela conquista de mais uma importante titularidade", disse, ressaltando a importância de outros docentes trilharem os caminhos dos dois professores titulares da FM, professor Jacob Cohen e professor Gerson Nakajima.     
 
O professor Ivan Tramujas considerou que a conquista do professor Nakajima é um triunfo que muitos desejam alcançar, mas poucos, efetivamente, conseguirão. "Essa é uma conquista histórica, não somente para o Departamento, mas para o curso, para a Faculdade, para a Universidade. Daqui para frente, espero que surjam outros, pois precisamos de líderes dentro da nossa faculdade", afirmou.