“Encontro de Conselhos de Segurança Alimentar e Nutricional do Estado do Amazonas” propõe alternativas para contornar a elevação do preço da cesta básica

Com o objetivo de discutir as tendências e os desafios da Agricultura urbana, a UFAM promove, de 9 a 11 de abril, em parceria com o Conselho Estadual de Segurança Alimentar, o “Encontro de Conselhos de Segurança Alimentar e Nutricional do Estado do Amazonas”.

O evento reúne representantes da Universidade com membros do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional do Estado e de instituições como IFAM, INPA, IDAAM, EMBRAPA e Pastoral da Criança. Para o coordenador da atividade, professor Daniel Felipe de Oliveira Gentil, a ideia  do evento é apresentar aos participantes a importância da agricultura urbana  e enfatizar a relação entre agricultura urbana e segurança alimentar.    “Entende-se como agricultura urbana as hortas para autoconsumo, as hortas escolares, as destinadas a fins terapêuticos e as comerciais. Estima-se que até 20% da produção de alimentos do mundo seja resultante da agricultura urbana. Neste encontro, temos como meta aproximar conselheiros e agricultores urbanos e promover excursões a áreas de cultivo convencionais, hidropônicas e
orgânicas na Zona Leste de Manaus, onde vamos apresentar técnicas de cultivo de hortaliças, de plantas medicinais e condimentares. Está prevista também a prática de campo na Fazenda Experimental da UFAM, para que todo o aprendizado seja materializado”, destacou o coordenador do evento.

 

 O Coordenador Estadual do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional do Estado do Amazonas, Pedro Neto, afirma que o CONSEA tem o papel estratégico de ajudar na construção do plano estadual de segurança alimentar e nutricional e aproveitou para elogiar a parceria da UFAM neste desafio. “Eventos como esse são importantes por ajudarem a induzir a implementação de políticas públicas dentro das diretrizes da conferência de segurança alimentar. Nosso principal parceiro hoje é a UFAM e posso garantir que não há lugar melhor para essa capacitação, pois aqui as pessoas gostam do que fazem” declarou o coordenador.

 

Agricultura urbana X cesta básica cara

A temática agricultura urbana torna-se ainda mais oportuna no momento em que se divulga a elevação dos preços dos itens da cesta básica. Segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), os preços dos alimentos essenciais subiram em 16 das 18 capitais brasileiras pesquisadas.

No “Encontro de Conselhos de Segurança Alimentar e Nutricional do Estado do Amazonas” esse aumento de preço pode ser visto de forma positiva por ser considerado como oportunidade de mudança de comportamento e adoção de um estilo de vida mais saudável.  É o que recomenda o Secretário-Geral do CONSEA, Marc Storck. “Temos que transformar essa espécie de ‘crise’ do preço dos alimentos em oportunidade. Cada família tem a possibilidade de ocupar a varanda ou o quintal de casa com a produção de hortaliças, verduras e plantas medicinais, para diminuir gastos e com a vantagem de não usar agrotóxicos” aconselhou ele.

 

 Na Pastoral da Criança, a substituição de alguns produtos por alimentos mais em conta já tem uma coleção de receitas. “Temos cerca de 25 mil crianças acompanhadas no Estado do Amazonas pela nossa Pastoral. Aproveitamos o talo de couve e cheiro verde para enriquecer  farofa; descobrimos que o suco de folha de jambeiro tem sabor similar ao do suco de jambo e que o suco de couve com limão substitui, de forma saudável, os refrigerantes e sucos artificiais, que são produtos que não trazem nenhum benefício para a saúde das crianças. Entre nossas receitas inovadoras está o molho de melancia na macarronada, que tem o mesmo valor nutricional do tomate”, disse a coordenadora Estadual da Pastoral da Criança no Estado do Amazonas, Delzimar Medeiros.