Pós-Bioagro contribui para o desenvolvimento regional

 

Com uma área construída em um espaço de 2.227,28 m2, o prédio da Pós-Bioagro localizado no setor sul do Campus Universitário, concentrará programas de pós-graduação em Agronomia Tropical, em Ciências Pesqueiras nos Trópicos, em Ciências Florestais e Ambientais e em Diversidade Biológica traz grandes perspectivas para a ciência no Estado do Amazonas.

Com recursos superiores a R$ 2 milhões, o prédio da Pós-Bioagro, composto de quatro andares, comportará salas de aula e de professores, laboratórios, biblioteca e banheiros que trarão melhores condições para o desenvolvimento da pesquisa nas áreas de Agrárias e Biológicas.

A coordenadora do Programa de Pós-graduação em Agronomia Tropical e também professora da Faculdade de Ciências Agrárias (FCA), Jânia Lilia da Silva Bentes, disse que com a instalação de novos laboratórios os alunos terão a oportunidade de utilizar de forma múltipla os espaços da pós-graduação, como também da graduação. Todo o desenvolvimento da pesquisa não é realizado isoladamente, de alguma forma ela deve estar vinculada a um grupo de pesquisa, comenta a coordenadora.

A coordenadora explicitou que o prédio é destinado ao desenvolvimento da pesquisa de ponta. Para tanto, novos equipamentos foram adquiridos estão sendo instalados, criando expectativa de utilização massiva por todos os programas de pós-graduação da FCA e do ICB para gerar pesquisa, conhecimento e publicação de estudos em revistas especializadas, alavancando as pesquisas dos programas de pós-graduação que deverão contribuir o para o desenvolvimento regional.              

A diretora do Instituto de Ciências Biológicas (ICE), professora Sônia Carvalho, frisa que a nova estrutura deverá contribuir para acelerar o avanço das pós-graduações, como por exemplo, o de mestrado em Diversidade Biológica. Apesar de ser um curso relativamente antigo, necessita de uma estrutura adequada que possa ampliar essa área de estudo, criando base para outras pós-graduações, como por exemplo, o mestrado em Imunologia Básica e Aplicada e da especialização em Fisiologia, que tenderá a ser um curso em niveis de mestrado e doutorado, explica.

A nova estrutura é algo que já vinha sendo aguardado com grande expectativa. Quando consideramos que estamos numa região de mega diversidade, em particular a biológica, deve-se ter uma estrutura adequada para permitir que mais estudos e mais pesquisas sejam realizados nessa área de conhecimento, disse.  

Segundo o Arquiteto da Prefeitura do Campus Universitário (PCU), Fabrício Silva, o prédio segue o mesmo padrão arquitetônico erguido no Setor Sul do Campus Universitário, como exemplo disso, é o da Faculdade de Ciências Agrárias (FCA) que disponibiliza uma área útil maior que a construída.