Icomp comemora conceito 5 da Capes dado ao PPG em Informática

O Instituto de Computação da Ufam (Icomp) realizou cerimônia especial em comemoração à ascensão do Programa de Pós-graduação em Informática (PPGI) ao nível 5 da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) – triênio 2010/2012. Somente cinco programas de pós-graduação na área possuem esse conceito, dos 66 existentes no país.  A solenidade ocorreu na tarde desta quinta-feira, 19, no auditório Rio Javari, da Faculdade de Tecnologia.

Compuseram a mesa de abertura do evento, a reitora e vice-reitor da Universidade, professores Márcia Perales e Hedinaldo Lima, o pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação, professor Gilson Monteiro, o diretor do Instituto de Computação, professor Ruiter Caldas, a atual coordenadora do PPGI, Eulanda Miranda dos Santos e o ex-coordenador do Programa do Icomp, professor Edleno Moura.

Em discurso, a reitora, professora Márcia Perales, ressaltou a relevância de celebrar a conquista do Instituto de Computação, por meio do PPGI. “Essa euforia precisa ser celebrada porque é o resultado de muito trabalho”, declarou. “Quando temos uma vitória como essa, ela precisa ser comemorada”, acentuou.

Professora Márcia Perales parabenizou o Icomp pela trajetória curta do PPGI com resultados obtidos rapidamente. “Todos nós podemos fazer assim como o Icomp”, estimulou a gestora da Ufam, a qual acrescentou que o trabalho em equipe dos membros do Instituto foi fundamental para as conquistas do Programa. “Congratulo-me com todos que participaram dessa conquista”, finalizou.

O vice-reitor, professor Hedinaldo Lima, evidenciou a capacidade do Icomp e que a qualificação ao nível 5 era apenas uma questão de tempo. O vice-reitor destacou também a seriedade do Instituto em administrar o PPGI. “Se nós conseguirmos contaminar a Universidade, vamos conseguir impactar a região”, afirmou ao defender o importante papel da Ufam no desenvolvimento da Amazônia.

Durante a cerimônia, a professora Eulanda Miranda apresentou um resumo da história de 12 anos do PPGI, destacando o crescimento rápido do Programa. “Na primeira avaliação da Capes, nós obtivemos o conceito 4”, exemplificou a professora. Outra amostra do sucesso do PPGI, segundo a atual coordenadora, foi a classificação como um dos oitos melhores programas de computação do país. Menção recebida em 2010 pela mesma Capes.

A professora acrescentou ainda que o conceito 5 já era esperado pelos membros do Programa do Icomp, pois na avaliação anterior, o PPGI fora informado que não obtivera o conceito 5 por não possuir nenhum de seus alunos formados no doutorado; como no triênio 2010-2012, essa exigência já havia sido atendida, a ascensão do conceito ocorreria em breve. “O nível 5 era uma etapa necessária para atingirmos nossa meta que é o nível 7”, revelou a professora Eulanda Miranda.

A coordenadora disse ainda que os prêmios recebidos pelos estudantes do PPGI contribuíram significativamente para a conquista junto à Capes. “O esforço dos nossos alunos contribuiu e muito para o sucesso do nosso programa”, ressaltou a coordenadora ao citar como exemplo a tese do ex-aluno do PPGI, Eli Cortez, que recebeu o prêmio de melhor tese de computação no 33º Congresso da Sociedade Brasileira de Computação (SBC) em julho deste ano.

Professor Edleno Moura, ex-coordenador do Programa, expôs a relevância do resultado da avaliação da Capes. O professor do Icomp enfatizou a participação dos membros do Programa, bem como da Pró-reitoria de Pesquisa e pós-graduação (Propesp), da Reitoria da Ufam e das agências de fomento. “Todo esse suporte nos ajudou a conseguir esse nível de excelência”, agradeceu o ex-coordenador.

Edleno Moura salientou também todo trabalho realizado para que o Programa alcançasse o patamar atual. Visão, planejamento e objetivos foram listados como diferencial do PPGI. O professor apresentou os dois principais objetivos do Programa: formar pessoal em quantidade e com qualidade e gerar desenvolvimento econômico e social para a região e para o Brasil. “Esse conhecimento pode se transformar em riquezas e empregos para as pessoas da região”, disse.

Para o diretor do Instituto da Computação (Icomp), professor Ruiter Caldas, o esforço coletivo garantiu a distinção do Programa de Pós-graduação em Informática. “Se nós continuarmos com esse gás, alcançaremos a vitória para o nosso curso”, declarou. “E que esse espírito que há no Icomp se espalhe por todo o estado e região”, acrescentou.

O pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação, professor Gilson Monteiro, citou o empenho dos profissionais do Icomp para motivar os membros dos demais programas de pós-graduação da Instituição a também buscarem tais posições para seus PPGs. “Nós podemos fazer. Somos capazes como quaisquer outros”, disse o pró-reitor. “Precisamos ter esse espírito do Icomp em toda a Universidade”, frisou. “Não tenho dúvidas de que o Icomp chegará ao 7 da Capes”, completou.

Na ocasião, a reitora da Ufam, professora Márcia Perales, o pró-reitor da Propesp, professor Gilson monteiro e a coordenadora do PPGI, professora Eulanda Miranda, foram homenageados com placas de congratulações pelo empenho em desenvolver a pesquisa e pós-graduação na Universidade, em especial, ao PPGI.